2020 é um ano bissexto, mas isso não tem nada haver com sua sexualidade; entenda

O título do blog é uma brincadeira. 2020 será um ano bissexto. Mas você sabe realmente o que é um ano bissexto? Veja na matéria abaixo como funciona e porque a necessidade.  Na prática, o mês de fevereiro ganha um dia a mais. 

Entenda o que é um ano Bissexto

Para entender o que é o ano bissexto é preciso voltar ao tempo dos egípcios, aproximadamente há 2.000 anos, e a história se faz um pouco confusa.

Naquele tempo, acreditava-se que o movimento de translação durava 365 dias. Por isso, o calendário era dividido em 12 meses com 30 dias cada, adicionando 5 dias para se completar os 365. Entretanto, o tempo que a Terra gasta para dar uma volta completa em torno do sol é de 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos, aproximadamente.

Veja mais notícias no blog

Os egípcios foram perceber tal fato depois de certo tempo, porque isso alterou a época de plantação e colheita das lavouras, colocando em risco sua sobrevivência. Dessa maneira, com novos cálculos, viram que o ano durava 365,25 dias, ou 365 dias e 6 horas.

Logo, 24 horas (um dia) dividido por 6 horas é igual a 4. Portanto, a cada 4 anos acrescentar-se-ia um dia ao calendário, o conhecido Calendário Alexandrino.

Mas, por que o nome “Bissexto” e um dia a mais no mês de fevereiro?

No Império Romano, o calendário era baseado nas fases da Lua, o chamado Ano Lunar. Assim, o ano durava 304 dias divididos em 10 meses, sendo 6 meses com 31 dias e o restante com 30. O ano começava no mês de Março, não existindo, portanto, os meses de Janeiro e Fevereiro. Com Júlio Cesar no poder, passaram a adotar o ano solar como calendário oficial, semelhante ao Calendário Alexandrino. Foi a partir desse momento que os meses de janeiro e fevereiro passaram a existir, inaugurando o Calendário Juliano. Assim, também havia a necessidade de o calendário, a cada 4 anos, ter 366 dias.

Com informações do site Brasil Escola

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of